Best-seller Mude ou Morra é um dos finalistas do Prêmio Jabuti

Mude ou Morra, de autoria dos sócios-fundadores da Organica Renato Mendes e Roni Cunha Bueno, é finalista do Prêmio Jabuti, o principal prêmio literário brasileiro, na categoria Economia Criativa.

Vamos juntos. Vamos acelerar pessoas e empresas! Saiba mais sobre o Mude ou Morra e conheça os outros indicados clicando aqui

“Pessoal, hoje ficamos sabendo que o nosso livro Mude ou Morra é finalista do Jabuti, principal prêmio literário brasileiro. Foi um livro que fizemos com muito amor, buscando dividir nosso conhecimento. Fomos pegos de surpresa, nunca passou pela nossa cabeça chegar perto de tamanha honra. Eu e Renato Mendes estamos muito felizes. Vamos juntos. Vamos acelerar pessoas e empresas! “

Roni Cunha Bueno pelo Linkedin

Sobre o livro

Escrito pelos sócios da Organica Renato Mendes e Roni Cunha Bueno, o livro Mude ou Morra é dedicado aos profissionais que querem entrar de vez na Nova Economia e redesenhar suas carreiras e empresas. Renato e Roni viveram a transição para a Nova Economia por dentro, aprenderam a criar um negócio do zero, empreenderam dentro de uma grande corporação, descobriram o mindset das startups vitoriosas e dão todas as dicas no livro. A obra se tornou best-seller no primeiro ano e é finalista do Premio Jabuti, o mais tradicional prêmio literário do Brasil. Conheça mais sobre o livro Mude ou Morra clicando aqui.

Você sabe o que é Inovação Aberta?

Você sabe qual o conceito de inovação aberta? Citado pela primeira vez em 2003 pelo economista, professor e pesquisador norte-americano Henry Chesbrough, o termo sugeria a mistura de influências internas e externas que afetam as ideias de uma empresa. Mais tarde Chesbrotgh lançou uma atualização do termo, de forma a deixa-lo mais preciso.

Mas basicamente o que a ideia quer dizer é que além de investir em pesquisas internas, é importante que as empresas invistam também em parcerias externas. Essa abordagem é capaz de criar mais oportunidades enquanto reduz custos de pesquisa, traz inovações e minimiza riscos.

Inovação aberta x inovação fechada

Quando falamos de inovação aberta (ou open innovation) temos que falar também da diferença entre ela e a inovação fechada. O que separa as duas é que enquanto a inovação fechada foca em ideias, invenções, pesquisas e desenvolvimentos da própria organização para colocar um produto ou serviço no mercado, a inovação aberta é justamente o oposto. Nos últimos tempos a inovação fechada tem perdido importância. Isso porque com a inovação aberta as empresas têm a possibilidade de utilizar recursos externos. Mais do que isso, com a inovação aberta é possível compartilhar suas próprias inovações com outras organizações, criando assim uma espécie de intercâmbio criativo.

Principais vantagens da inovação aberta

Pelo que você percebeu, dá para imaginar que boa parte das empresas no mercado segue os preceitos da inovação fechada. Mas quando uma empresa passa a trabalhar com a inovação aberta, ela passa a ter vantagens que essa maioria não possui. Dê uma olhada:

  • Economia e redução do tempo para comercialização do produto: a forte concorrência e os ciclos de tempo de um produto nas prateleiras cada vez mais curtos fazem com que o tempo gasto no desenvolvimento dele seja cada vez mais importante. Utilizar o conceito da inovação aberta no seu negócio poderá- possibilitar a redução de tempo de desenvolvimento dos seus produtos. Isso pode fazer que esse tempo caia até pela metade quando comparado a um projeto que usa apenas os conhecimentos internos da companhia.
  • Menor custo de lançamento do seu produto no mercado: com a inovação aberta é possível ter uma redução de custos do produto passando por todas as etapas dele. Isto é, desde o planejamento dele até seu lançamento no mercado. Ao passar a usar esse sistema, tem-se a garantia de reduzir o tempo de desenvolvimento dessas funcionalidades, e isso acaba impactando o budget positivamente.
  • Fator novidade em alta: dificilmente um produto que já está no mercado recebe algum upgrade. Isso porque os produtos e serviços que enchem as prateleiras são desenvolvidos a partir do processo padrão de inovação. Por outro lado, quando você adiciona parceiros externos nessa equação, as chances de desenvolver algo novo são bem maiores.
  • Product market fit subindo: um produto ou serviço que se encaixe na necessidade do cliente como uma luva, esse é o product market fit. Ele é um pré-requisito bem visado no sucesso de um produto. Quando o estabelecimento realiza essas parcerias com outros negócios e integra inclusive clientes nessa experiência, as chances de que o resultado ao qual se chega seja positivo são altas.   
  • Ideias e mais ideias: o envolvimento com a inovação aberta permite que os braços alcancem ideias que talvez nunca teriam sido pensadas usando um outro método convencional. O conhecimento de mais pessoas que podem ter outra percepção da mesma coisa que você tem é muito importante. O processo de inovação requer muitas ideias, já que nem todas sairão do papel e irão trazer os resultados almejados.
  • Mudança de hábito: muitas vezes nem é necessário apostar em algo do zero para seu negócio. As inovações podem acontecer para coisas que já existem e que você já usa no seu dia-a-dia, mas ainda não percebeu. E com a inovação aberta as chances de um parceiro ver elas para você só aumentam.
  • Menores riscos, menores custos, menores prazos: quando se participa da inovação aberta, o intercâmbio entre empresas é algo muito benéfico. Isso porque essa troca pode fazer com que empresas pequenas (que geralmente sofrem com a falta de recursos) realizem boas trocas de experiências com empresas grandes. Isso ao mesmo tempo em que as grandes podem aproveitar os processos ágeis das pequenas.

Por onde começar e como implementar

Um fato que une todas as empresas e organizações é que elas almejam a excelência no que fazem. E utilizar o método da inovação aberta é uma das maneiras de se alcançar isso. Ele é capaz de definir objetivos e a orientação de atividades. Para você prosseguir com esse processo, inicialmente é necessário responder algumas perguntas:

  • O que você deseja alcançar com a inovação aberta?
  • Quais objetivos corporativos a inovação aberta atende?
  • Como operar a inovação aberta de acordo com a situação do seu negócio
  • Quais oportunidades você usaria e por quê?

É muito importante saber quais seus objetivos desde o princípio e tê-los definidos. Uma forma de achar um norte e saber como implementar a inovação aberta  é participando de centros de inovação.

 
Exemplos de inovação aberta

Existe uma série de exemplos e modelos de negócio para aqueles que desejam seguir o modelo de inovação aberta. Desde o modelo de cocriação, onde a empresa chama clientes e fornecedores para que eles possam trabalhar em parceria até o corporate venture, em que grandes corporações investem em startups menores para que elas possam desenvolver soluções para ambas os negócios. O fato é que a inovação aberta por si só faz com que sua empresa fique anos-luz à frente das demais.

Você já estava familiarizado com esse conceito de inovação aberta? Ficou com alguma dúvida sobre o processo ou gostaria de compartilhar alguma experiência com a gente? Escreva nos comentários! Até mais!

Dicas do que fazer em Austin, a capital do SXSW

Além de ser a capital que sedia anualmente o SXSW, a cidade de Austin, no Texas, também esconde uma série de atrações que vão além do festival. A cidade por si só já é um evento à parte, com uma série de atividades e atrações únicas. É a atual capital do estado texano.

Austin destoa completamente do resto do Texas, tanto que seus vizinhos não olham para suas diferenças de uma forma natural. Seu lema (não oficial) não poderia ser outro: Keep Austin Weird (algo como “Mantenha Austin Estranha” numa tradução literal). Austin é a cidade que mais cresce nos EUA, e atualmente é a 4ª cidade mais populosa do Texas.

Possui uma grande cena musical, com grandes eventos como o próprio South by Southwest e o Austin City Limits. A cidade possui uma visão política diferente do resto do Texas, e por isso vota diferente das demais cidades do resto do estado. Muitas empresas de tecnologia abriram operações lá por se identificarem com o ar progressista da região. Para citar algumas: Intel, Apple, Dell, HP, Samsung, AMD e Facebook.

A cidade possui habitantes universitários em sua maioria. Isso porque Austin é sede da Universidade do Texas, e seu campo abriga cerca de 50 mil alunos divididos em cursos de graduação e pós-graduação. Uma cidade que ferve perante as possibilidades, portanto.

Austin e SXSW: uma combinação campeã

Todos os anos a cidade de Austin é palco de um dos maiores festivais do mundo, o SXSW. Esse festival acontece desde 1987, e tem continuado a crescer a cada edição. Como você já deve ter acompanhado por aqui em outros posts, o foco do SXSW é cinema, música e tecnologia. E esses são temas que tem tudo a ver com a alma jovem que é própria de Austin, somado ao tom contestador típico da região.

Afinal o que fazer em Austin?

Caso o SXSW não seja suficiente para você, separamos abaixo alguns dos pontos turísticos mais interessantes que a cidade oferece para seus visitantes. Dá uma olhada:

Lago Travis

O rio Colorado é um dos maiores rios localizados no Texas e o 18º maior rio dos Estados Unidos. Um dos seus expoentes é o lago Travis, situado no oeste de Austin. O lago Travis possui uma vista maravilhosa, e possui alguns hotéis em suas imediações. Definitivamente um passeio que ficará na memória.

Sixth Street 

Trata-se de um distrito histórico cujo foco é o entretenimento. O ambiente alternativo da Sixth Street se localiza no centro de Austin e conta com uma série de atrações, desde barzinhos iluminados até restaurantes e casas de shows.

Barton Creek

No geral o Texas possui um clima altamente propício para passeios ao ar livre. Um desses passeios fica ao redor do lago Barton. Uma forma que além de barata, é fantástica para se  conhecer a cidade. Existe uma série de caiaques para locação na região, o que torna a tour pelos arredores de Austin um evento muito especial.

Bullock Texas State History Museum

O Bullock Texas State History Museum  é um museu de história que fica na região norte de Austin. Ele possui esse nome por causa do 38º governador do Texas, Bob Bullock, que é um dos maiores preservadores da cultura texana. O acervo do museu contém uma infinidade de itens cujo tema é a cultura sulista e seus costumes. Vale a visita.

Rainey Street

A Rainey Street é um distrito histórico localizado em Austin, repleto de casas e bangalôs com um estilo arquitetônico clássico. Com um ambiente limpo e muito convidativo, o distrito possui muitos pubs e restaurantes que farão sua visita valer a pena.

Texas State Capitol

O Capitólio Estadual do Texas é a sede dos escritórios e câmaras do governo do Texas. Localizado no coração de Austin, o capitólio oferece visitas guiadas para seus visitantes, o que por si só já é uma ótima maneira de aprender sobre a história da construção. Sua arquitetura faz com que ele seja o maior capitólio dos Estados Unidos. Além disso ele possui 17 monumentos, entre prédios históricos e jardins, o que fará sua visita muito divertida.

Como vimos, Austin possui bem mais a oferecer que o SXSW, e possui passeios para todos os gostos, desde os mais aventureiros até par aqueles que preferem passeios culturais ou mesmo uma experiência bem boêmia.

Ficou com alguma dúvida? Tem alguma sugestão de mais algum ponto turístico que não mencionamos no texto? Tem alguma experiência bacana que vivenciou em Austin? Compartilhe com a gente nos comentários! Até a próxima.

7 passos para fazer a gestão de uma empresa na Nova Economia

Você que já acompanha por aqui os nossos posts há algum tempo já deve saber bastante sobre a Nova Economia. Para aqueles pouco familiarizados com o tema, aqui vai: a Nova Economia basicamente é uma forma de negócios baseada na internet e na tecnologia. Tecnologia essa que causa formas bem variadas de chegar aos mesmos resultados. E ela é bem diferente se comparada à Velha Economia, na qual também ainda vivemos. A Velha Economia mais assemelha-se às linhas de montagem dos tempos da Revolução Industrial. Só para se ter uma noção básica.

Apesar disso, ambas coexistem. O que significa que temos um privilégio imenso ao vivenciar essa transição de uma era para a outra. Privilégio porque temos a oportunidade de reger nossos negócios de acordo com o que o novo mercado espera. É uma chance para que pessoas comuns façam coisas extraordinárias. E é a oportunidade para que aqueles que são adeptos da Velha Economia ousem fazer algo novo, ou morram tentando.

Entretanto, não é a coisa mais fácil fazer a gestão de uma empresa na Nova Economia. Ao contrário das empresas que atualmente existem por aí, fazer essa manutenção requer que a parte interessada siga caminhos além dos propostos hoje em dia. E sabendo disso elaboramos uma lista com 7 passos para fazer a gestão de uma empresa na Nova Economia para você não morrer na praia. Continue a leitura e confira!

1. Zero ego

A premissa do Zero ego é a percepção de que uma ideia boa é o melhor caminho a se tomar independentemente de ter vindo do estagiário ou do CEO da companhia. Qualquer pessoa da equipe está apta a fornecer uma boa sugestão. Isso deixa sua empresa bem mais próxima de uma gestão horizontal, e esse é um importante passo para fazer a gestão de uma empresa na Nova Economia.

2. Andar em bloco

Entregar um produto ou serviço com qualidade e velocidade. Repetidas vezes. Essa é uma característica típica de empresas de sucesso que vivem a Nova Economia. A expressão “tempo é dinheiro” é bem real aqui. Cada vez mais o cliente final tem se tornado mais exigente, e isso reflete no tempo de resposta que ele terá durante toda a fase da compra. Para ser competitivo é necessário ser ágil. E todo o seu time tem que ser de acordo com esse pensamento. Cooperação em todas as frentes. Foi-se o tempo que uma encomenda poderia levar até semanas para atingir seu destino final. Lembre-se: “tempo é dinheiro”. Surpreenda seus clientes.

3. Líder nato

Um líder nato não necessariamente nasce com esse talento, mas ele aprende com os desafios e lições do cotidiano. Um bom líder é capaz de tirar bons profissionais de suas zonas de conforto e aproveita talentos que seriam de outra forma desperdiçados. Essa é uma das melhores maneiras de realizar a gestão de uma empresa na Nova Economia, e uma das mais naturais e orgânicas. Incentivando suas tropas.

4. DNA

Como você escolhe as pessoas que vão trabalhar com você? Quais são os valores e o DNA delas que vão construir seu propósito? Na Nova Economia apostamos no fit cultural, que ajuda a traçar o alinhamento de quem você quer e quem você não quer trabalhando com você. É preciso que você tenha clareza de qual é o propósito da sua empresa para trabalhar com pessoas alinhadas e que tenham o DNA que levará seu negócio ao crescimento exponencial. Feito isso, você vai saber como definir uma cultura forte que inspira todo o seu time.

5. Cultura e foco no cliente

A Nova Economia nasceu dentro da era das experiências, em que o poder de negociação passou para os consumidores. Cada opinião, recomendação e percepção dos clientes e o entendimento de que a visão deles precisa fazer parte da nossa cultura e do mindset de todos os colaboradores são essenciais para que as empresas se mantenham competitivas e sobrevivam ao mercado atual. Precisamos construir uma cultura que valorize e dê foco ao consumidor, tornando a empresa cada vez mais competitiva nesse novo jogo.

6. Cultura do UAU

Com uma clientela cada vez mais difícil de agradar, aqueles que desejam seguir os preceitos da Nova Economia precisam oferecer uma experiência realmente memorável. Quando o cliente é surpreendido de forma positiva pode-se dizer que o objetivo foi alcançado. E isso é mais do que apenas deixá-lo satisfeito. É importante lembrar que um cliente satisfeito e surpreendido é igual à publicidade gratuita para o seu negócio. Esse é o preceito básico da WOW Experience, ou Cultura do UAU. Oferecer essa experiência é mais uma das formas de realizar a gestão de uma empresa na Nova Economia.

7. Champion X Challenger

Esse é o conceito mais importante para aqueles que desejam realizar uma boa gestão de uma empresa na Nova Economia. O nome é Champion x Challenger, ou Campeão x Desafiante, e é um modelo que nós da Organica desenvolvemos a partir de nossa própria experiência através dos anos ao lado da Netshoes. Quando a Organica foi criada, ela já estava totalmente refinada e desde então já foi utilizada por mais de 60 empresas.

O que queremos apresentar ao utilizar esse modelo de gestão é que qualquer empresa possui seu modelo campeão. E por isso estamos falando daquele produto e/ou serviço que é o melhor que você tem a oferecer. Se o seu negócio ainda não existe, pense que seu modelo campeão será a forma que você utilizará para gerar renda e receita. Tendo esse modelo em mente, é chegada a hora de um novo modelo vir substituí-lo. Esse será o seu desafiante.

Para chegar até ele será necessário questionar tudo do modelo atual e tentar analisar inclusive suas fraquezas. Dessa forma chega-se ao desafiante. Quando você encontrar o modelo ideal é a hora de realizar testes para colocá-lo à prova. Ao identificar hipóteses vencedoras, é hora de escalá-las para um próximo nível. E esse é o começo do próximo nível na sua gestão.

Apresentamos aqui conceitos básicos de alguns passos que você encontra no nosso livro Mude ou Morra. Nele, além de encontrar mais detalhes sobre cada um desses passos, você encontrará uma série de outras informações.

Controlar um negócio na Nova Economia é bem mais complicado do que parece. Mas com as orientações certas qualquer obstáculo é transponível. Caso tenha ficado com alguma dúvida ou precise de ajuda com algo relacionado ao tema, entre em contato com a gente! Adoraremos auxiliá-lo a chegar no melhor resultado. Até a próxima!

Dicas para convencer seu chefe a mandá-lo para o SXSW 2020

SXSW 2020

Consagrado como a própria ‘Feira Mundial do Futuro’ pelo prefeito de Austin, Steve Adler, o SXSW é o principal destino para aqueles líderes que desejam desenvolver novas ideias e cultivar sua criatividade ao mesmo tempo em que constroem um futuro melhor. De 13 a 22 de março de 2020, em Austin, no Texas, você pode experenciar 10 dias de colaboração, aprendizado, networking inspiração e mais no South by Southwest.

Das exibições de filmes na grande tela e competições de statups de tecnologia para grandes exibições contendo grandes artistas emergentes, o SXSW encoraja a criatividade e o crescimento profissional.

Pode ser uma ideia interessante e fácil de comprar para você que é empregado, mas o que fazer com o seu chefe para convencê-lo a apoiar sua viagem para lá? Sabemos que o fato de viajar por si só pode ser complicado tanto para seus superiores quanto para sua empresa. Por isso é preciso saber como convencê-los da melhor maneira possível. E este é o objetivo deste artigo!

Nove em cada dez pessoas que já foram a uma das edições do SXSW declaram ter alcançado suas metas e que farão o possível para ir no SXSW novamente, seja em 2020 ou nas próximas edições. Grupos de mentes criativas em meio a indústrias que trabalham com interatividade, filmes e música se convergem todo mês de março através dos anos fazem do SXSW um ponto focal para descobertas e criatividade no geral. Dê uma olhada nos números da última edição do evento:

No SXSW 2019:

  • 4.799 palestrantes compartilharam seu conhecimento em 2128 sessões de conferência, com uma audiência repleta de profissionais representando 106 países.
  • O Brasil bateu o recorde em números de participantes no SXSW 2019, foram 1.590 brasileiros, o que fez do País a maior delegação estrangeira no evento.
  • 1.964 artistas performaram no Music Festival e 306 filmes e projetos foram exibidos no Film Festival.
  • 275 exibidores de 25 países apresentaram novas ideias e tecnologias no Trade Show.

O que esperar da SXSW

  • Oportunidades únicas de interagir diretamente com pessoas diretamente de outra área de expertise.
  • Criar conexões duradouras para seus negócios.
  • Evoluir seu conhecimento e entendimento nas práticas atuais.
  • Expandir sua network com pessoas de fora do seu meio.
  • Investir em novas companhias.
  • Encontrar novas oportunidades de negócio e firmar novas parcerias.
  • Lançar um novo produto ou serviço.
  • Estabelecer o tom criativo para o restante do ano.
  • Se inspirar com diversos pontos de vista apresentados por líderes visionários que o farão pensar.
  • Tacos e o tradicional barbecue estadunidense.
  • Experienciar novos filmes, músicas, arte e mais.
  • Esperar pelo inesperado!

Estas são as oportunidades que se percebe logo de cara no SXSW. Algo que se torna muito mais significativo ao profissional é a vivência que ele acaba experienciando, o que fará com que ele tenha uma visão de mundo muito mais avançada e diferente de um profissional comum.

Sempre voltamos ao tema SXSW e de como ele é um evento de oportunidades únicas. Ter a chance de ser incentivado pela sua empresa a ir a um evento desse porte é sinal que ela crê em você. É bem mais que um investimento, é uma prova de confiança no trabalho que você faz.

Caso tenha ficado com alguma dúvida sobre o evento, compartilhe nos comentários conosco. Ou se deseja saber mais sobre nossa imersão com uma curadoria individualizada clique aqui e fale com a gente, teremos prazer em ajudá-lo! Até mais!

Artigo baseado neste aqui da página oficial do SXSW.

[Relatório Anual] Tendências SXSW 2019

Todos os anos, a Organica vai para o SXSW, o maior evento de inovação do mundo. E pós-festival, produzimos o evento Tendências SXSW em algumas cidades brasileiras. No evento, fazemos download dos principais conteúdos do SXSW e discutimos as principais tendências que afetarão o mundo dos negócios.

No fim do SXSW 2019, produzimos um compilado das tendências que rolaram no festival. Se você ainda não conhece ou está pronto para as principais tendências em tecnologia e inovação que estão por vir com certeza estará mais preparado e com a cabeça fervilhando de ideias depois de ler este nosso relatório.

A Luciane Aquino, sócia da Organica e especialista em Tendências, é nossa curadora oficial do nosso grupo no SXSW e preparou quase 100 slides com o melhor conteúdo visto no festival. Além da nossa produção de conteúdo durante o SX, fazemos uma imersão com CEOs e líderes de empresas que buscam inovação e crescimento exponencial.

Conhecemos a dinâmica do Southby e sabemos potencializar a troca entre os participantes do grupo SXSW Organica. Clique aqui para saber mais sobre nossa imersão com curadoria individualizada, transformação na prática e experiência alavancada pelo grupo Organica.

Agora, clique no link a seguir para fazer o download do nosso Relatório Anual de Tendências SXSW Organica. Boa leitura!

As 9 melhores Newsletters para você assinar e já checar a caixa de e-mail

Como você faz para se manter atualizado no decorrer do dia? Antigamente era costume acompanhar diariamente o jornal pela manhã acompanhado de uma xícara de café. Dessa imagem na mente a única coisa que às vezes continua a mesma é o café.

Agora não há mais um horário para se consumir informação. A era da tecnologia diz que qualquer momento é o ideal, e ideal mesmo é se adaptar a essa era. Sabendo que o futuro é agora separamos nesse post uma lista com as 9 melhores newsletters para você assinar agora mesmo e ficar por dentro das notícias em qualquer lugar, mesmo que seja simplesmente enquanto toma uma deliciosa xícara de café pela manhã. Confira!

Insidly.io

Por meio da Insidly é possível ter acesso a uma gama de temas diferentes e se manter atualizado no que diz respeito às principais tendências do mercado, fintechs, inovações e tecnologia no mesmo lugar. Uma ótima alternativa se sua dúvida é qual dentre as inúmeras newsletters utilizar.

The Verge

O The Verge é uma das newsletters ideais para se ter acesso à informações quando o assunto é tecnologia e gadgets. Existente desde 2011, ela possui a missão de abordar esses temas ao mesmo tempo em que faz uma análise sobre a mudança que a tecnologia causa na vida das pessoas hoje (em inglês).

The Brief

O The Brief se define como uma newsletter diária que fala sobre tecnologia e negócios. Opinião, análises e notícias sobre o mais importante de cada um desses dois mundos são promessas que a newsletter faz, tudo regado a uma excelente e bem humorada abordagem.

Brazil Journal

Negócios, economia, tecnologia e afins em uma só newsletter, esse é o Brazil Journal. Além disso, ele oferece as cotações diárias do mercado de ações em tempo real, assim como taxas de câmbio que tem um efeito direto no seu bolso.

The Shift

The Shift é uma newsletter que possui o compromisso de apresentar o cenário disruptivo do Século 21. O The Shift promete ir além das notícias e dar o contexto de temas como inovação e a transformação de negócios e da sociedade.

Meio

Similar ao The Shift, o Meio também é um veículo de notícias independente. Os temas dele variam de política a variedades, e as notícias chegam no e-mail cadastrado pelo usuário no formato de pílulas diárias.

TechCrunch

Direto de São Francisco, terra onde as novidades são praticamente pioneiras, temos o TechCrunch, que nada mais é que uma das newsletters mais conhecidas no meio comercial cujo foco é tecnologia e sua indústria. A newsletter possui vários segmentos para que você receba sempre o que é do seu interesse (em inglês).

Think with Google

O nome por trás dessa newsletter dispensa apresentações. Disponível em mais de 20 idiomas, o Think with Google é um canal de informações voltado para marketing e criatividade. Além disso, sua proposta é dar o insight de como grandes marcas pensam e como elas realizam suas campanhas.

Essa é uma daquelas newsletters que vale a assinatura.

News Organica

Às terças-feiras enviamos uma newsletter repleta de links com conteúdos sobre o que ler, assistir e ouvir sobre a Nova Economia, Evolução Exponencial, Transformação Digital e Mindset de Startup. Esta é a News Organica, ideal para quem quer uma dose semanal de inspiração em seu cotidiano.

A nova era da informação pede agilidade e conhecimento em grandes quantidades. Ela requer que as pessoas fiquem antenadas com as novidades do mercado que elas têm interesse e às vezes pede que elas saibam mais do que apenas seu mercado de experiência.

Essa seleção de newsletters foi apenas o pontapé inicial para que você possa descobrir novas formas de se informar e começar a pensar fora da caixa. Esperamos que com essas dicas sua estratégia de negócios passe a ganhar novas perspectivas. Caso tenha ficado alguma dúvida ou deseje tecer algum comentário, compartilhe com a gente! Teremos prazer em te ouvir. Até a próxima! 

FOMO no SXSW: 8 dicas para vencê-la em grandes festivais

Enquanto você faz a leitura deste artigo, milhares de novas informações estarão surgindo por aí. Em uma época tão conectada quando a nossa é normal ter a sensação de estar perdendo muita coisa. E este é o tema do texto de hoje. Continue a leitura e confira!

Afinal, o que é FOMO?

‘Fear of missing out’ é o medo de ficar de fora e atinge muitos participantes de grandes festivais como o SXSW. A expressão foi cunhada em 2000 pelo estrategista de marketing norte-americano Dan Hermanse e está totalmente relacionada com o nosso mundo superconectado. As redes sociais acabam potencializando as sensações de FOMO.

Mesmo que você utilize toda a inteligência artificial disponível para montar sua agenda com as tracks que te interessam no SXSW não vai dar assistir tudo. O maior festival de inovação do mundo também pode ser a porta para a ansiedade, nervosismo e preocupação com tantas tendências em inovação e tecnologia apresentadas ao mesmo tempo.

Dicas para driblar a FOMO no SXSW:

1. Use o app SXSW Go

O aplicativo é oficial do Southby e por lá você pode marcar todos seus favoritos. Desse modo, você vai criar um mapa de coisas interessantes em potencial, o que facilitará sua escolha. Já no dia do evento você verá no app as salas que tem sinal verde, amarelo e vermelho com a indicação da lotação em tempo real.

2. Pesquise sobre os speakers

Palestras com títulos lindos não são garantia de bons conteúdos. Caso você não conheça o histórico do palestrante, pesquise e veja se já há algum talk dele na internet, se já publicou algum livro, a empresa que trabalha, etc. Crie planos A, B e C para cada sessão, levando em consideração, é claro, as filas e o tempo de deslocamento. Outra coisa: ficou 5 minutos na palestra e não está gostando? Saia e vá ver outra.

3. Priorize o que você realmente quer ver

As necessidades são limitadas e os desejos infinitos. Priorizar certas atividades faz a gente eliminar outras que não tem o mesmo grau de importância. Decida quais suas prioridades e foque nelas.

4. Reserve um tempo para você

Não fique só no seu grupo, se misture no festival. Se não for pedir demais, não fique só entre os brasileiros. Esteja aberto ao novo de forma tranquila.

5. Confie na diversidade

Viaje com pessoas com backgrounds variados, que vão te oferecer visões novas sobre o festival. O SXSW é o lugar ideal para você aprender sobre assuntos que nem sabia que existiam. Se for sozinho não tem problema, converse com estranhos.

Todos os anos criamos um canal oficial pelo WhatsApp entre nosso grupo, com conteúdos dos principais palestrantes, truques do SXSW, preparações para a viagem e trocas.

6. Planeje-se com antecedência e faça uma curadoria do que te interessa

Em um evento com tamanha carga de conteúdo simultâneo, sem dúvidas o maior desafio é fazer a curadoria do que assistir, mas existem alguns truques para facilitar sua seleção. Você precisará dedicar tempo para definir seus focos para o festival e montar a sua agenda. Você pode seguir dois métodos: o CDF, para ver o máximo de palestras possíveis, ou o relax, tirando um tempinho para aproveitar a cidade e as experiências que surgirem pelo caminho.

Só não siga uma única trilha de palestras. O mais legal do SXSW é poder variar as sessões e expandir os horizontes. E planeje-se para além delas. Ainda que você escolha o método CDF, visite as ativações em casas e faça atividades noturnas.

A curadoria individual possui diversos benefícios para otimizar seu tempo e driblar sua FOMO. Nós aqui na Organica montamos uma curadoria de experiências especializada com cada integrante do nosso grupo para potencializar sua vivência no SXSW. A partir de uma conversa, indicamos os speakers e temas que vemos que serão mais relevantes para cada profissional.

7. Prepare-se para o pós-festival

Saímos do SXSW com um repertório gigante de informação. São tendências, reportes, pesquisas, livros e ideias para saírem do papel. O evento Tendências SXSW 2020 vai te ajudar a fazer download dos principais conteúdos do SXSW e discutir as principais tendências que afetarão o seu negócio. Na volta do SXSW sempre publicamos diversos materiais como as sessões do SXSW que você ainda pode (e deve!) ouvir em casa e o Relatório de Tendências SXSW 2019.

8. Conecte-se ao seu tempo presente

Focar na experiência no SXSW nos ajuda a distinguir o que é realmente enriquecedor daquilo que só provoca um prazer momentâneo. Sentir prazer é bom, mas melhor ainda é viver com calma o momento. Drible a ansiedade e viva a JOMO (‘Joy of missing out’ – felicidade em ficar por fora, em tradução livre). O SXSW é um festival no qual toda experiência é válida.

O SXSW tem tantas oportunidades que é inadmissível que você deixe sentimentos como a FOMO te atrapalhar. Assim como no nosso dia a dia perdemos e ganhamos a todo minuto. Não deixe a FOMO te vencer e ‘Joy of missing out’!

Acesse este link para saber mais sobre a nossa viagem em grupo com curadoria individual para o SXSW 2020.

O futuro é agora: conheça a Transformação Digital

Você está por dentro do conceito de transformação digital? Transformação digital nada mais é do que quando empresas utilizam a tecnologia para otimizar seu desempenho e garantir resultados melhores nas tarefas que exercem. Transformação Digital é a percepção que a empresa precisa mudar. Isso significa transformar a estrutura dessas empresas tornando a tecnologia uma peça principal.

Não se engane, há quem pense que essa transformação envolve basicamente melhorar a experiência do cliente a longo prazo. Essas pessoas não poderiam estar mais enganadas.  A transformação digital é pra ontem e é um caso de sobrevivência para as empresas que desejam permanecer vivas. A Transformação Digital é uma necessidade urgente para quem ainda vive dentro da Velha Economia.

Fizemos este artigo para que você fique inteirado das principais novidades sobre o tema. Continue lendo e confira!

Lidando com a transformação digital

Aos poucos, o resultado da transformação digital tem mostrado o seu impacto na sociedade. E com isso é cada vez mais evidente a importância de ter esse modelo de inovação nos negócios.

E qual é de fato o impacto da transformação digital na vida das pessoas? Maior velocidade de comunicação e melhor movimentação de volume de dados são alguns pontos. Sem dúvidas a vida tem sido mais fácil em diversos pontos do que há 50 anos, e isso graças aos efeitos da transformação digital.

A transformação digital é uma resposta da disrupção das startups

As startups não fazem parte da jogada: teoricamente elas nascem prontas e são naturalmente disruptivas. Elas entenderam antes de todo mundo que precisavam ser inovadoras e transformaram isso em uma vantagem competitiva. E a transformação digital nada mais é do que uma resposta ao que elas criaram. Se a sua empresa está pensando em fazer a transformação digital é porque ela já está atrasada. Não espere mais tempo!

Poder do consumidor

Houve uma grande mudança na maneira como nos conectamos com os clientes hoje em dia. Há muito mais interação e comunicação é uma via de mão dupla. Além de imponderados, os clientes estão mais influentes.

UX é a experiência que usuário faz de produtos e/ou serviços digitais, e é usada para aprimorá-los cada vez mais. O poder do consumidor hoje em dia é enorme, e novas soluções para problemas que não existiam antes precisam ser criadas da forma mais rápida e descomplicada possível.

A palavra é ousadia

Além de saber inovar, também é preciso saber ousar quando se lida com os resultados e possíveis impactos da transformação digital. Ter coragem para seguir em frente mesmo quando aquilo que é proposto parece de alto risco. Não ter tempo para refletir sobre as possíveis consequências de decisões, pois o tempo é curto.

A transformação digital no geral é bem mais do só que criar um site e uma página no Facebook ou no Instagram para a sua empresa. É preciso vivê-la em cada passo. Essa era pede líderes que pensem rápido e sem medo de errar. Que saibam que para a inovação acontecer, antes de qualquer coisa deve existir esse estágio da ousadia.

Marketing Digital X Marketing Analógico

Quando falamos de transformação digital é inevitável falar também sobre os novos rumos que o marketing tem tomado. Já falamos anteriormente sobre as diferenças entre marketing digital e analógico em uma entrevista do Canal Futura com Renato Mendes, sócio e co-fundador da Organica.

Houve diversas mudanças no mercado com a chegada do digital, como a própria estratégia do marketing, o que fez balançar as estruturas de muitas equipes. Tanto o digital quanto o analógico possuem suas vantagens, mas é inegável que o marketing digital é capaz de oferecer bem mais que sua contraparte. O ideal mesmo é unificá-los e tirar a melhor parte de cada um deles.

A cada dia que passa, a transformação digital é cada vez mais recorrente na vida das pessoas. Grandes impérios têm desmoronado e ficado à deriva por não saber como fazer essa transição e se adaptado a essa nova era digital. É o que Renato Mendes e Roni Cunha Bueno abordam no livro Mude ou Morra.

O futuro é para agora, e como diz o título do livro, agora é a hora é mudar ou morrer. Acompanhe a gente e comece a mudança do seu negócio! Caso tenha ficado com alguma dúvida compartilhe com a gente na seção de comentários. Até o próximo post!