Invista em Boas Práticas para vender na Black Friday

Entra ano e sai ano, a Black Friday tem tido cada vez mais relevância no comércio nacional.  Tendo sua primeira aparição em terras tupiniquins no ano de 2010, a data tradicionalmente estadunidense caiu nas graças dos consumidores brasileiros e parece que sempre fez parte dos nossos costumes. É uma data importante para esses consumidores, por isso é necessário cuidado e boas práticas para vender na Black Friday.

Hoje em dia é comum encontrar aqueles que poupam suas economias para terem a chance de adquirir bens de consumo por preços mais acessíveis na Black Friday. Assim como os clientes aproveitam o evento,  muitos lojistas dizem que essa é uma das melhores épocas do ano para gerar receita. Muitos dizem lucrar com uma semana de Black Friday o equivalente a quase 1 ano inteiro de vendas.

E já estamos quase na reta final da Black Friday 2019. A Black Friday ocorre sempre em novembro, após o Dia de Ação de Graças, na quarta sexta-feira do mês. Esse ano o evento ocorre em 29 de novembro de 2019.  Por isso preparamos esse post contendo boas práticas para vender na Black Friday e ter ótimas vendas. Continue lendo e confira!

Comunicação e marketing digital

“Se você não viu, não existe.” Essa frase se torna ainda mais forte quando se pensa em um comércio, e duplica sua importância em tempos de Black Friday. É importante que se encha seu cliente de ofertas e e-mails marketing (nada de bombardeá-lo de spams, por favor). Ter uma lembrança na mente dos clientes é importante para não se cair no esquecimento, especialmente nessa época tão crucial.

Segundo um estudo realizado pela PricewaterhouseCoopers (PwC) Brasil, quase 80% dos brasileiros são influenciados pelas redes sociais na hora de decidir uma nova compra. Eis aqui um ponto para se dar atenção. Publicar posts em redes sociais, subir hashtags ou vestir sua página à caráter da Black Friday são boas estratégias para mostrar que sua loja está envolvida com a data e pode ser um lugar de boas oportunidades.


Estrutura do site

Um dos fatores que geram mais dor de cabeça ao cliente e consequentemente ao varejista é a estrutura do site.  Bugs, lentidão e travamentos na hora de efetuar a compra são fatores negativos para o cliente. É preciso que o website da loja seja bem estruturado.

Para que essa estrutura esteja de acordo, é necessário que exista alinhamento com as etapas de Backoffice. Um estudo realizado pelo Aberdeen mostrou que a cada segundo que a página de um site demora a carregar a satisfação do cliente diminui em cerca de 16%. Já o número de visualizações cai em uma média de 11%.


Atendimento de excelência

Uma das lembranças mais marcantes que o cliente possui ao realizar uma compra, além da compra em si, é como se desenrolou seu atendimento no pré-venda. E tão importante quanto esse pré-venda é o pós-venda com o cliente.  Um pós-venda de qualidade garante que esses clientes fiquem fidelizados e se tornem embaixadores da sua marca.

Para atender com excelência, um atendimento personalizado é uma opção que é capaz de destacar seu estabelecimento entre os demais. Oferecer descontos na Black Friday é algo que toda loja ou estabelecimento faz, já realizar um atendimento de valor é coisa rara.


Black Fraude

Uma da coisas mais polêmicas que acontecia bastante com os clientes na época da Black Friday no começo que a data foi implantada era a famigerada “Black Fraude”. A Black Fraude acontece quando o estabelecimento altera o valor do desconto aumentando o valor do produto semanas antes. Isso faz com o que o desconto pareça maior. Entretanto, esse é um comportamento já conhecido por quem convive com a Black Friday já faz algum tempo. Sem contar que passa uma imagem extremamente negativa para o seu negócio.

A Black Friday é uma oportunidade única no ano para aumentar as vendas do seu negócio e gerar resultados positivos. Um bom planejamento é fundamental. Empatia e boas ferramentas para auxiliá-lo também são essenciais.

Esperamos que com essas dicas sejam úteis para você e seus colaboradores. Recentemente lançamos um e-book com dicas para se preparar para a Black Friday 2019. Nesse e-book é possível encontrar dicas preciosíssimas da Priscila Erthal, uma das maiores profissionais de e-commerce do Brasil. 

Caso tenha ficado com alguma dúvida compartilhe com a gente nos comentários! Até a próxima.

Como entender o comportamento e as necessidades do cliente

Antigamente a função fundamental de um cliente para uma empresa era manter o capital entrando e o consumo acontecendo. Não importava muito como ele se sentia no fim das contas, bastava ele comprar. Compre, compre, compre. O tempo mudou e agora é bem mais difícil impactar um cliente. Ele possui uma visão bem mais crítica do que consome, e nem sempre a infinidade de meios para influenciá-lo é suficiente. Estamos falando dos outdoors existentes nas ruas, comerciais de TV, banners e posts na internet e redes sociais. As necessidades do cliente agora ultrapassam o mero adquirir coisas.

Fidelidade a marcas ou lojas já não existem mais como antes. Hoje em dia é tudo mais uma questão de ideologia ou simplesmente no que o cliente acredita ser melhor para si no momento. E ao contrário do que parece, no fim das contas essa falta de fidelidade pode ser melhor para os negócios do que sugere.

Com o advento das redes sociais, cada usuário é um influenciador à parte, capaz de afetar sua bolha e disseminar sua opinião para aqueles que o seguem. Isso praticamente aposenta aqueles vendedores insistentes que não sabem o que oferecer e por isso metralham seus alvos com abordagens desnecessárias. O objetivo desse post é fazer com que você entenda o comportamento e as necessidades do cliente. Continue lendo saiba como entendê-las!

Pesquise

Uma das formas mais fundamentais na hora de entender as necessidades do cliente é fazer pesquisas sobre ele. Realize levantamentos sobre seus clientes, como idade, sexo, grupo social e redes mais utilizadas. Com esses dados em mãos, é possível entender seu público-alvo e quais as suas necessidades, e assim elaborar um perfil. Desse modo nascem as personas. Uma persona nada mais é do que o cliente ideal para o seu negócio, e aquele para qual esforços devem estar voltados.

Pense como eles

Com o perfil de seus clientes em mãos, é possível entendê-lo. E é possível se perguntar quais as motivações que os levam a comprar determinados produtos ou serviços que você oferta. Esse é um exercício que aos poucos faz com que você tenha identificação com eles e gere empatia. Tendo essa empatia é muito mais fácil identificar as necessidades do cliente e tomar decisões tidas como “arriscadas”.

Feedbacks valem ouro

O retorno que o cliente lhe dá é o parâmetro que você tem para saber se seus produtos devem ou não ser melhorados. E, mais do que gerar dados, a atenção que sua empresa dá aos feedbacks recebidos gera uma percepção positiva da marca. Ao se importar com esses feedbacks, sua empresa mostra que a opinião dos clientes importa. É de vital importância que para isso você também os incentive a participar, seja em suas redes sociais ou em qualquer outro canal de comunicação.

Diálogo

Saber começar um diálogo é tão importante quanto saber mantê-lo. E para isso é preciso saber segmentar suas comunicações entre os diferentes níveis de necessidades do cliente. Mais que isso, a comunicação precisa ser constante, abrangendo o pré, o durante e o pós venda. E é por isso que dividir seus leads em categorias é tão relevante.

Saber começar um diálogo é tão importante quanto saber mantê-lo. E para isso é preciso saber segmentar suas comunicações entre os diferentes níveis de necessidades do cliente. Mais que isso, a comunicação precisa ser constante, abrangendo o pré, o durante e o pós venda. E é por isso que dividir seus leads em categorias é tão relevante.

Mantenha sua marca saudável

O cliente tem o poder de levantar uma marca ou derrubá-la. Como falamos anteriormente, cada cliente é um influenciador em potencial, e por isso possui o poder de influenciar no mínimo mais um cliente. Outro ponto de atenção é que você deve manter um planejamento do começo ao fim. Sua marca só deve realizar mudanças de estilo em casos ímpares que não arrisquem a integridade dela.

Entender o cliente é mais um exercício de empatia do que o resultado de uma forma matemática altamente elaborada. Nos tempos atuais ele sabe bem o que quer e da forma que quer. De mero personagem secundário ele tem tomado cada vez mais o papel de protagonista da Nova Economia. E aqueles negócios incapazes de entender as necessidades desse novo tipo de cliente morrerão na praia. Por isso, é importante saber o que ele quer. Tornar sua marca uma referência no mercado.

Esperamos que com essas dicas fique mais fácil saber o que oferecer aos seus clientes. Caso tenha ficado alguma dúvida ou observação comente-a nos comentários abaixo. E compartilhe este artigo com seus amigos nas redes sociais clicando nos links. Até a próxima!