Vivendo no futuro: conhecendo as Cidades Inteligentes

Quando pensamos no futuro uma das imagens que temos em mente é a de carros voadores, robôs super inteligentes e toda uma estética vinda diretamente vinda dos Jetsons. Para nós essa é a ideia básica de como são as cidades inteligentes.

A realidade é um pouco diferente. Carros que voam ainda não estão rodando por aí. Apesar disso evoluímos um bocado quando o assunto é inteligência artificial e seus usos. E muito dessa tecnologia é revertida de uma forma positiva para uso das cidades inteligentes.

Em tempos em que o consumismo se torna um vilão que prejudica toda uma geração, cada vez mais se faz necessário buscar alternativas que tragam melhor qualidade de vida a cidade e seus habitantes.

Governos de todo o globo tem se dado conta da importância dessa forma de se portar perante o mundo e o ambiente que suas nações ocupam. Nesse post iremos falar um pouco sobre essas cidades e sua forma inovadora de pensar. Continue lendo!

Conhecendo melhor as cidades inteligentes (smart cities)
Chamamos de cidades inteligentes aquelas que o uso da tecnologia e inovação tem o objetivo de melhorar a vida de seus habitantes. Realiza-se uma avaliação e verifica-se em quais maneiras essa tecnologia traria mais benefícios se aplicada. Isso vai desde a coleta seletiva de dejetos até a forma de desenvolver novos meios de transporte e locomoção, e não apenas o fator tecnológico é relevante aqui. Segundo o Cities in Motion Index, do IESE Business School na Espanha, 9 quesitos podem definir uma cidade como inteligente. São eles: Capital humano, mobilidade e transporte, economia, governança, coesão social, meio ambiente, tecnologia, alcance internacional e planejamento urbano.

10 vencedoras do Netexplo Smart Cities 2020
Anualmente o observatório francês Netexplo premia as cidades que mais se destacam na questão de partilhar essas ideologias de cidades inteligentes. Trata-se do prêmio Nextexplo Smart Cities que é uma parceria com uma série de outras organizações. O pré-anúncio das cidades vencedoras dessa última edição ocorreu agora em 31 de outubro, que coincide com o Dia Mundial das Cidades. A lista das campeãs do Smart Cities Awards 2020 e suas respectivas categorias de destaque é:

– Austin, EUA (mobilidade),
– Dakar, Senegal (educação),
– Espoo, Finlândia (esfera de dados),
– Medellín, Colômbia (atratividade),
– Shenzhen, China (transporte),
– Santiago, Chile (finanças),
– Singapura (meta de carbono zero),
·-Surat, Índia (resiliência),
– Tallinn, Estônia (transformação digital), e
– Viena, Áustria (habitação).

O tema da conferência deste ano foi “Mudando o mundo: inovações e uma vida melhor para futuras gerações”.

Austin, uma cidade inteligente
Uma das nossas queridinhas entre as smart cities é a cidade de Austin, no Texas. Já falamos anteriormente sobre as maravilhas dessa cidade aqui e em uma série de posts sobre o SXSW. Este aliás é um dos pontos altos da cidade.  Mas não é o único: ela possui uma série de qualidades que a tornam uma smart city perfeita para seus habitantes. Seu jeito único e à frente de todo estado texano faz com que ela se destaque como uma flor no meio do deserto.

Anualmente nós da Organica damos as caras no SXSW.Para ter uma noção do que rolou no SXSW deste ano clique aqui e para saber quais atrações foram confirmadas para a edição de 2020 clique aqui.

Cidades inteligentes made in Brasil
No Brasil, as cidades inteligentes também começam a ter uma presença notável. Este já não é mais um conceito existente apenas lá fora.Desde Brasília, o compromisso de ser uma cidade que traz benefícios para seus habitantes é cada vez mais levado em conta. Desde cidades formadas desde a planta para esse fim até pequenas iniciativas que facilitem a vida daqueles que a utilizam.

São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Florianópolis, Curitiba, Palmas, Vitória e Campinas são cidades que figuram no ranking Connected Smart Cities. Esse ranking avalia cidades brasileiras com maior potencial de crescimento e desenvolvimento. Ele avalia 11 setores diferentes e vê como essas cidades se saem. Alguns entre eles: educação, mobilidade, saúde, segurança e empreendedorismo. Além desse ranking também acontece anualmente um evento com o mesmo nome que trata sobre esse tema.

Já falando sobre cidades inteligentes propriamente ditas, nós temos dois projetos que foram desenvolvidos do zero. Estamos falando das cidades de Pedra Branca, em Santa Catarina e Smart City Laguna, no Ceará. Leia mais sobre cada uma delas:

Pedra Branca
Há cerca de 15km de Florianópolis fica Pedra Branca uma cidade cuja origem remete a uma pequena fazenda. Hoje uma cidade-bairro, Pedra Branca se tornou referência no assunto sustentabilidade. A cidade segue à risca o objetivo para o qual foi criado. Esse objetivo é o de fornecer tudo que seus cidadãos precisam para viver com apenas uma caminhada. Isso é: educação, segurança, comércio e lazer. Empresas e até mesmo uma universidade fazem parte do lugar e a pretensão é a de que a cidade passe por uma expansão e que a quantidade de habitantes atuais de 8 mil passe para algo em torno de 40 mil moradores.

Smart City Laguna
Localizada em São Gonçalo do Amarante, a Smart City Laguna promete sustentabilidade e facilidade da acessibilidade para seus habitantes. ela prioriza a locomoção a pé ou de bicicleta. A cidade conta com um app oficial. Com ele é possível acionar socorro, saber sobre ofertas de emprego e até mesmo ficar por dentro das novidades com relação a eventos próximos, entre outras funcionalidades. Conectar os habitantes entre si assim como com a cidade torna essa uma ótima ferramenta. Sem falar que todo o projeto arquitetônico da cidade é pensado de forma a levar segurança, preservação do meio em que está inserida e acessibilidade.

O futuro são as cidades inteligentes. Por meio dessas iniciativas há uma vontade de contornar problemas tão comuns em cidades grandes. Essas smart cities aprenderam com as falhas alheias e tem trabalhado para facilitar a existência de seus moradores e com isso aumentar a qualidade de vida destes. Com elas podemos ver que qualquer solução é possível, basta pensar.

Gostaríamos de saber o que você acha sobre essas cidades inteligentes. Acha que elas são mesmo o futuro ou existe outra alternativa? Sabe de mais alguma smart city? Compartilhe com a gente seu pensamento nos comentários! Obrigado por nos ler até aqui, e até a próxima!

Dicas do que fazer em Austin, a capital do SXSW

Além de ser a capital que sedia anualmente o SXSW, a cidade de Austin, no Texas, também esconde uma série de atrações que vão além do festival. A cidade por si só já é um evento à parte, com uma série de atividades e atrações únicas. É a atual capital do estado texano.

Austin destoa completamente do resto do Texas, tanto que seus vizinhos não olham para suas diferenças de uma forma natural. Seu lema (não oficial) não poderia ser outro: Keep Austin Weird (algo como “Mantenha Austin Estranha” numa tradução literal). Austin é a cidade que mais cresce nos EUA, e atualmente é a 4ª cidade mais populosa do Texas.

Possui uma grande cena musical, com grandes eventos como o próprio South by Southwest e o Austin City Limits. A cidade possui uma visão política diferente do resto do Texas, e por isso vota diferente das demais cidades do resto do estado. Muitas empresas de tecnologia abriram operações lá por se identificarem com o ar progressista da região. Para citar algumas: Intel, Apple, Dell, HP, Samsung, AMD e Facebook.

A cidade possui habitantes universitários em sua maioria. Isso porque Austin é sede da Universidade do Texas, e seu campo abriga cerca de 50 mil alunos divididos em cursos de graduação e pós-graduação. Uma cidade que ferve perante as possibilidades, portanto.

Austin e SXSW: uma combinação campeã

Todos os anos a cidade de Austin é palco de um dos maiores festivais do mundo, o SXSW. Esse festival acontece desde 1987, e tem continuado a crescer a cada edição. Como você já deve ter acompanhado por aqui em outros posts, o foco do SXSW é cinema, música e tecnologia. E esses são temas que tem tudo a ver com a alma jovem que é própria de Austin, somado ao tom contestador típico da região.

Afinal o que fazer em Austin?

Caso o SXSW não seja suficiente para você, separamos abaixo alguns dos pontos turísticos mais interessantes que a cidade oferece para seus visitantes. Dá uma olhada:

Lago Travis

O rio Colorado é um dos maiores rios localizados no Texas e o 18º maior rio dos Estados Unidos. Um dos seus expoentes é o lago Travis, situado no oeste de Austin. O lago Travis possui uma vista maravilhosa, e possui alguns hotéis em suas imediações. Definitivamente um passeio que ficará na memória.

Sixth Street 

Trata-se de um distrito histórico cujo foco é o entretenimento. O ambiente alternativo da Sixth Street se localiza no centro de Austin e conta com uma série de atrações, desde barzinhos iluminados até restaurantes e casas de shows.

Barton Creek

No geral o Texas possui um clima altamente propício para passeios ao ar livre. Um desses passeios fica ao redor do lago Barton. Uma forma que além de barata, é fantástica para se  conhecer a cidade. Existe uma série de caiaques para locação na região, o que torna a tour pelos arredores de Austin um evento muito especial.

Bullock Texas State History Museum

O Bullock Texas State History Museum  é um museu de história que fica na região norte de Austin. Ele possui esse nome por causa do 38º governador do Texas, Bob Bullock, que é um dos maiores preservadores da cultura texana. O acervo do museu contém uma infinidade de itens cujo tema é a cultura sulista e seus costumes. Vale a visita.

Rainey Street

A Rainey Street é um distrito histórico localizado em Austin, repleto de casas e bangalôs com um estilo arquitetônico clássico. Com um ambiente limpo e muito convidativo, o distrito possui muitos pubs e restaurantes que farão sua visita valer a pena.

Texas State Capitol

O Capitólio Estadual do Texas é a sede dos escritórios e câmaras do governo do Texas. Localizado no coração de Austin, o capitólio oferece visitas guiadas para seus visitantes, o que por si só já é uma ótima maneira de aprender sobre a história da construção. Sua arquitetura faz com que ele seja o maior capitólio dos Estados Unidos. Além disso ele possui 17 monumentos, entre prédios históricos e jardins, o que fará sua visita muito divertida.

Como vimos, Austin possui bem mais a oferecer que o SXSW, e possui passeios para todos os gostos, desde os mais aventureiros até par aqueles que preferem passeios culturais ou mesmo uma experiência bem boêmia.

Ficou com alguma dúvida? Tem alguma sugestão de mais algum ponto turístico que não mencionamos no texto? Tem alguma experiência bacana que vivenciou em Austin? Compartilhe com a gente nos comentários! Até a próxima.